Logon
Blog

Viver em uma metrópole pode prejudicar a saúde do coração?

Leia mais e tenha informações seguras sobre saúde.

​​​​​Poluição, trânsito caótico, barulho excessivo, falta de tempo e excesso de compromissos. Viver em grandes cidades é estressante e pode afetar a saúde.

Em contrapartida, essa é a principal oportunidade para quem quer construir uma carreira no mercado de trabalho e estudar em reconhecidas universidades, por exemplo.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), somente na cidade de São Paulo, já são mais de 12 milhões de pessoas, o que a torna a mais populosa do País.

Os transtornos da vida em metrópole
O excesso de indivíduos convivendo no mesmo lugar traz uma série de consequências preocupantes para a saúde. Para atender a uma população cada vez mais crescente, a frota de veículos aumenta todos os anos e, com ela, também surge a poluição do ar e a sonora.

Além disso, a sensação de que “não é permitido desacelerar” faz com que as pessoas sintam-se correndo incessantemente para cumprirem seus afazeres e esquecem do principal: cuidar da saúde física e mental.

A impressão é que o tempo é escasso, mesmo sendo igual para quem mora numa cidade menos populosa. Isso causa ansiedade e pode dificultar o bom funcionamento do organismo, com o desencadeamento de crises de taquicardia e outros distúrbios cardíacos, por exemplo.

Relacionamos abaixo alguns dos principais prejuízos para a saúde:

Aumento​ do risco de infarto: o estresse libera hormônios que influenciam nos índices de colesterol e de hipertensão, podendo agravar problemas cardíacos e aumentar a chance de infartos em pessoas predispostas.

Problemas​ respiratórios: a poluição do ar é um dos principais desencadeadores das doenças respiratórias, como asma e rinite alérgica, por exemplo. 

Doenças metab​ólicas: a vida sedentária e a má alimentação, normalmente, acompanham quem mora em grandes cidades. Assim, o sedentarismo e a obesidade também costumam ser responsáveis por doenças cardíacas.

Principais fatores que comprometem a saúde do coração
Estresse
Ansiedade
Depressão
Má alimentação
Sed​entarismo

Encontre um tempo para fazer o que gosta ouvir música, ir ao shopping, sair com os amigos, ou ler um livro .

Como reduzir o nível de estresse nos grandes centros urbanos?

Não há segredo. Para manter a saúde do coração em meio à agitação das metrópoles é preciso buscar o equilíbrio. Não adianta viver como ‘se não houvesse o amanhã’ e também não dá para tirar o pé do acelerador do dia para noite.

Mas é possível tomar algumas medidas para melhorar a qualidade de vida e manter a boa saúde. Veja:

Encontre um tempo para fazer o que gosta (ouvir música, ir ao shopping, sair com os amigos, ler um livro e etc.).
Inclua a prática de atividades físicas na rotina. O ideal é praticar exercícios ao menos três por semana, durante 30 minutos, e em ritmo moderado.
Sempre que possível fuja para lugares onde é possível respirar ar puro e relaxar.
Mude os hábitos alimentares e busque uma alimentação mais saudável.

Faça um acompanhamento médico periódico.

Coloque em prática essas medidas e busque uma maneira de viver em harmonia com a vida agitada. E, anualmente, faça um check-up e passe por acompanhamento médico.


​​​

Para marcar consult​as e exa​mes, ligue para 11 3147-9430.​​​​



Veja mais